Melhor amigo

Sentada no sofá, já de pijamas, querendo ficar assim o resto da noite, meu celular toca. Era o Lucas, penso em não atender, mas mudo de ideia.

– Oi.

– Já está pronta?

– Pronta? Não. Acho que não vou.

– Como assim não vai? Elisa, eu te falei dessa festa há um mês.

Ele me chamou de Elisa? É isso mesmo? Nunca ouvi ele me chamar de algo que não seja Lis.

– Eu sei. Mas não estou muito animada para festas.

– Nem parece a minha amiga que eu conheço. Vou passar aí daqui meia hora.

– A festa é na sua casa, não precisa passar aqui.

– Mas eu vou, pra você não ter desculpa de não vir. Oito e meia eu estarei aí.

Mal terminou de falar e já desligou o telefone. Ele realmente sabia como me deixar nervosa. Não tive opção e foi me arrumar.

Exatamente meia hora depois ele toca o interfone. Eu já estava quase pronta, de short, blusa e cabelo solto, deixei ele esperando uns 10 minutos e desci. Quando me viu, apenas sorriu e disse que eu ficava ainda mais linda quando me arrumava correndo. Não respondi, aquilo não me pareceu muito sincero. Chegando na casa dele, me assustei com a quantidade de pessoas. Aquela casa grande parecia menor pelas pessoas lá dentro. Ele me disse pra ir à cozinha pegar algo para beber que ele iria cumprimentar algumas pessoas.  Eu quase disse para não ir, mas era tarde de mais. Não estava com vontade de socializar com pessoas desconhecidas, fui à cozinha, e peguei um copo de refrigerante. As pessoas já estavam bem alegres para ser início de festa. Saí da cozinha e fui procurar alguém conhecido, morrendo de raiva por Lucas ter me deixar sozinha.

Depois de finalmente encontrar algumas amigas, conversamos, rimos e dançamos, até não aguentar mais tanto barulho,  então fui ver onde o Lucas estava para dizer que ia embora. Nem precisei andar muito. Ele estava no sofá da sala, ao lado de uma menina de cabelos castanhos e curtos, uma roupa exageradamente apertada e.. linda. Ele passa a mão nos cabelos dela, ela sorri.   Eles se aproximam. Meu coração desabou naquele momento. Sim, eu estava com ciúmes do meu melhor amigo. Não consigo me mover por alguns instantes. Mas depois vou até a cozinha, indignada pelo meu sentimento, pego um copo e bebo alguma coisa que estava em umas das garrafas em cima do balcão. Saio da casa e sento nas escadas perto da porta.

Não sei quanto tempo se passou, até que o Lucas aparece. Ele senta ao meu lado.

– Estava procurando por você. Achei que tinha ido embora.

– Eu quase fui.

– O que está bebendo? – Ele pega meu copo e bebe um pouco. – Não acredito que está bebendo! Nunca te vi beber. Aconteceu alguma coisa?

– Me senti um pouco deslocada, só isso.

– Não precisa beber por isso.

– Você deixou aquela menina sozinha?

– Quem? A Daniela?

– Daniela.. Deve ser.

– Sim. Eu fui te procurar.

– Ela é linda. Eu não a deixaria sozinha para ir me procurar.

Ele ri. Não entendi porque, mas não estava conseguindo me deixar melhor.

– Mas ela não é você.

Fiquei analisando aquelas palavras, pensando se era aquilo mesmo que eu estava ouvindo. Sem acreditar no que ele estava falando. Ele passou a mão em meus ombros e me abraçou.

– Mas ela é linda.

– Lis, eu não consigo ficar com outras garotas. Eu não entendo por que não podemos ficar juntos, por que você tem que ser tão difícil. Eu não quero apenas uma amiga, mas uma namorada. E pra mim, você sempre será a mais linda.

Eu não consigo responder, apenas deito minha cabeça em seu ombro. Admitindo que é ele que eu sinto, é ele que eu quero. Como eu pude ser tão idiota a ponto de não entender o que realmente sentia por ele? Naquele instante eu entendia que não queria ele apenas como melhor amigo, que tudo o que ele me dizia era verdade, tudo o que eu sonhava estava realmente acontecendo.

– Lis, quer ir embora?

– Não. Quero ficar assim mais um pouco.

Anúncios

23 comentários sobre “Melhor amigo

  1. Kelly B. disse:

    Que legal. Gostei do seu texto, você se interessa em escrever apenas crônicas ou essa história poderia virar um romance? Ou uma web novela. Você escreve muito bem, hoje em dia está raro achar alguém que saiba usar o português corretamente.

    • Aline Amorim disse:

      Obrigada! Fiquei feliz com seu elogio. A matéria que eu mais gostava era português!!
      Nem tinha pensado em dar continuação para a história.. mas gosto também de escrever histórias mais longas. Talvez pense em alguma continuação. Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s