Primeiro encontro

large

Sim, eu estava de mau humor, sem motivo algum, sem razão específica. E não, eu não achei melhor ficar em casa e espalhar minha cara feia para as paredes e para meu cachorro. Eu preferi sair de casa e tomar um café forte. Então, procurei a mesa mais isolada do local e sentei. E por incrível que pareça, nada se destaca mais que alguém que senta sozinho em uma mesa.

Pedi meu café e tentei me distrair com as palavras cruzadas do meu celular. Até que alguém se senta à mesa ao lado arrastando a cadeira. Quando olhei, a primeira coisa que vi foram as pernas finas mais lindas que alguém poderia ter, e de brinde um rosto angelical. Essa é a melhor palavra que consegui encontrar para descrever aquele rosto tão delicado. Ela usava um vestido azul e um coque. Tinha jeito de ser bailarina. Não sei quanto tempo fiquei parado olhando para ela, até que olhou para mim e sorriu. Eu sorri de volta. Ela pediu um cappuccino e eu queimei minha língua com o café.

Senti que precisava conversar com ela, saber sobre ela. Olhei novamente esquecendo meu mau humor do dia e perguntei se eu poderia ser uma companhia. Ela disse apenas “claro!”. Eu estava certo, ela era bailarina e a mais graciosa que poderia conhecer. Sua voz era como música e eu poderia virar um poeta se ela aceitasse ser a inspiração dos meus versos. Descobri que sempre moramos no mesmo bairro e não frequentávamos os mesmos lugares, talvez por isso que nunca nos encontramos. Não tínhamos gostos muito parecidos, mas ela escutava Roupa Nova, e isso importava. Eu queria passar o dia inteiro escutando suas histórias sobre as viagens a trabalho, mas ela olhou no relógio e teve que ir trabalhar. Eu perguntei o seu nome e ela pegou meu telefone. Escreveu seu número e disse: “me liga quando der.” Eu perguntei: “pode ser agora?” Ela respondeu: “sábado”.

Eu a vi indo embora e levando um pouco de mim. Mas deixando a ansiedade e a necessidade de encontra-la novamente. Eu queria aquele sorriso para mim, pegar nas suas mãos e talvez até arriscar alguns passos de dança. Talvez não aguentaria até sábado para ouvir sua voz, então peguei meu telefone e sem pensar muito, liguei.

Anúncios

17 comentários sobre “Primeiro encontro

  1. Jessica Wilhelm disse:

    Nossa que texto incrivel, me senti a pior criadora de contos agora UAHSAUSH, adorei a parte que ele queimou a lingua rs, o texto é romantico, misterioso e divertido, do tipo que você inicia a leitura e não quer parar de ler nunca, quero mais! KKKKKKk

    Beijos 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s